Alimentação do Bebê

Depois de um periodo em que o bebê está alimentando-se apenas de leite materno é necessário introduz outros alimentos. Saiba como introduzir da forma correta, a papinha, sopinha, líquidos tais como suco de frutas e  mesmo a fruta como forma de sobremesa.

A introdução correta da alimentação do bebê, deve ocorrer quando o pequeno completar 6 meses de vida, esse é o período correto para deixar o seu bebê saborear as delicias da natureza, mas atenção, nada substitui o leite materno, mesmo quando a mãe começar a servir uma alimentação mais completa, o leite materno continua sendo essencial para a saúde dele. O bebê deverá continuar mamando no peito até completar um ano de vida, isso irá garantir uma alimentação mais rica e completa, para o sue bebê. Conciliar o leite do peito com a nova alimentação, nem sempre é uma tarefa fácil. É muito comum os rebentos recusarem as papinhas e frutas. Muitas crianças, simplesmente resistem, é dai que vem aquela expressão muito antiga e conhecida por todos que as mamães pronunciam na maior felicidade, "olha o aviãozinho!"

Para ajudar as mães nessa verdadeira batalha alimentar, reunimos dicas que não podem faltar na cartilha das mães, são informações preciosas passadas por nutricionistas e pediatras que lhe ajudarão a compreender de uma vez por todas, por que a alimentação é tão importante para a saúde e um bom desenvolvimento do bebê:

 

1. O leite materno é um alimento completo para o bebê, mas para a introdução de líquidos para o recém-nascido como sucos, chás ou água devem ser feitos com a orientação do pediatra ou nutricionista, porque a flora intestinal do recém-nascido é sensível, e o leite do peito é o que ele precisa até os 6 meses de vida. Se durante este período o leite da mamãe secar, o primeiro passo é procurar um pediatra para auxiliar em produtos corretos para suprir a falta do peito, nunca dê leite de vaca, como dito antes, o intestino do bebê é frágil, por isso toda a alimentação deve ser baseada em produtos próprios e indicados por um pediatra.

 

2. O bebê completou 6 meses, é hora de iniciar a com as papinhas

Hummm que delicia esse cheirinho! Sim, legumes e verduras agora cozidos se transformam em uma deliciosa papinha, bastante nutritiva e balanceada, saborosas quando bem feitas e bem misturadas, as verduras e os legumes são sem sombra de dúvida, a melhor pedida para se iniciar uma alimentação saudável. Lave com extremo rigor os vegetais e de preferência para o hortifrútis da estação.

 

3. Receita de uma papinha bem balanceada e nutritiva

Nada de temperos extravagantes, nessa fase, procure trocar o óleo pelo azeite de oliva, não use condimentos como pimentas, colorantes (mesmo que naturais) e temperos prontos. Para preparar as sopinhas, use vegetais como por exemplo, batata, cenoura, folhas, cebola, caldo de carne, ou mesmo carne, claro que você deve optar por uma carne magra e procure utilizar pouco azeite e sal. Reforçando a dica: é imprescindível lavar bem os alimentos e compra-los sempre frescos, todo o cuidado é pouco.

 

4. Hábitos saudáveis de alimentação começam justamente na amamentação

Fique atenta, nem sempre o choro do bebê é sinal de fome, mães tendem a associar o choro com a vontade do recém nascido de mamar, isso causa na criança uma associação destrutiva com vários efeitos colaterais e tendência a obesidade, esse assunto será abordado em outro artigo.

 

5. Não bata a papinha no liquidificador, misture, amasse e peneire manualmente

O sexto mês é o período exato para se começar a introduzir alimentos sólidos, em média, para uma alimentação correta, o bebê deverá se beneficiar de 4 mamadas por dia, é duas refeições. Os pediatras afirmam que a papinha não deve ser de toda liquefeita, o modo correto é deixar pastosa, com pedacinhos de legumes e verduras triturados manualmente.

 

6. A primeira papa salgada deve ser oferecida junto com a doce

Nos primeiros dias é comum a criança estranhar complemente a refeição, se notar que o ingerido pelo bebê não foi o suficiente, complete com o leite materno. Todas as frutas estão liberadas, mas vale salientar que é importante e saudável, evitar frutas acidas. Também é importante servir sempre uma papinha doce ou uma fruta como sobremesa, isso irá ajudar a balancear a refeição e melhorar a flora, além de familiarizar o bebe a outros sabores e facilitar a nova alimentação.

 

7. Procure oferecer líquidos no copo

Essa fase é ótima para começar a dar água e sucos, claro, sem açúcar. Procure não ultrapassar 100 mililitros por dia e sirva no copo, é importante servir no copo para que o bebê não confunda a chuquinha com o bico do seio. Os sucos cítricos, devem ser oferecidos depois da refeição para melhorar a absorção de ferro, encontrado na maior parte em carnes vermelhas, no feijão e nas folhas. Jamais tente substituir os alimentos por bebidas. Para matar a sede, nada de suco, prefira sempre água.

 

8. Não estimule o bebê quando ele comer tudo

Não se esqueça de que o bebê não está acostumado a alimentos sólidos, algumas crianças estranham bastante a nova alimentação e isso pode vir a gerar estresse e irritação. Tenha isso em mente quando colocá-la no cadeirão. Com tempo e paciência, a criança irá se entregar aos prazeres da culinária, mas, até lá, tenha calma e procure não forçar a barra. O humor do bebê é o reflexo do ambiente, procure servir as refeições sempre nos mesmos horários e procure sempre manter o ambiente calmo e aconchegante, o nervosismo dos pais interfere diretamente no humor da criança. Não se esqueça, nada de recompensas ou ameaças para força-lo a comer, isso só irá piorar as coisas.

 

Alimentação do bebê durante o verão

Durante o verão, o calor provoca alterações no apetite das crianças. Na maioria dos casos, eles preferem beber do que comer, então, tome bastante cuidado ao alimentar os seus filhos nas estações mais quentes do ano, é algo que nós, como pais, não devemos esquecer. O alimento é tão importante quanto o sono e atividades esportivas para as crianças usufruírem de uma boa saúde.

 

Faça uso de alimentos que podem ser refrigerados

Frutas da época. Corte em pedaços e misture com o suco de outras frutas, conhecemos essa delicia da natureza como salada de frutas, você também pode bater com leite fresco ou iogurte, são muito atraentes ao paladar das crianças no verão. As frutas são doces para eles e você pode descansar fácil, porque eles contêm uma grande quantidade de vitaminas e minerais, que são necessários para o seu desenvolvimento.

 

Legumes da época 

Legumes e verduras fazem bem em qualquer época do ano, e ainda são duplamente indicados para consumo no verão, por serem leves e de fácil digestão, mas como fazer com que os pequenos comam, por exemplo, um pimentão? Vamos deixar uma dica muito útil para quem tem filhos relutantes em ingerir legumes e verduras. No caso de crianças pequenas, continue fazendo a tradicional papinha, mas os ingredientes devem ser macerados manualmente, e não com o auxilio de um liquidificador, isso ajuda a manter os nutrientes. Já para as crianças maiores que não gostam de cebola, pimentão, alface e similares, uma forma de introduzi-los na alimentação, é disfarçando-os. Uma ótima forma de fazer isso é por exemplo, batendo a cebola e o pimentão no liquidificador e misturando ao feijão ou mesmo ao arroz. Aproveite para criar pastas com as verduras e legumes e colocar dentro de lanches, a maionese ajudar a disfarçar e dar um sabor todo especial a este tipo de alimento.

 

Gelados e sorvetes

Caseiro e cheio de nutrientes. As combinações de frutas, leite e iogurte para sorvetes são altamente atraentes para as crianças e muito nutritivo. Faze-los em casa é uma ótima opção. Você só precisa de um liquidificador, um molde e o próprio freezer da geladeira. Também podemos fazer isso com tipos variados de sucos, dessa forma, os pequeninos irão ingerir muito mais e mais.

 

Sucos e vitaminas

Prontos em um segundo, os sucos e as vitaminas são docinhos e apetitosos. São preparados em um piscar de olhos, e devem ser consumidos imediatamente para que não percam as suas vitaminas e minerais. Eles têm a vantagem de todos os benefícios das frutas cruas. Se você já deixou os ingredientes na geladeira, ainda estarão frescos quando os seus filhos quiserem consumir e repetir. Eles são baixos em calorias e cheios de nutrientes que ajudam no crescimento dos pequenos.

 

Dicas para a alimentação das crianças no verão 

O verão oferece muitas possibilidades para uma dieta saudável e equilibrada. Descubra quais são algumas das orientações mais recomendadas para ajudar seus filhos a desfrutar de uma boa nutrição também na temporada de verão:

 

- Aproveite as frutas e legumes da estação. Frutas e vegetais são uma fonte importante de vitaminas e minerais para todos, mas são particularmente importantes para crianças em crescimento. Eles são ricos em fibras e pobre em calorias, evitam constipação e obesidade.

 

- Respeitar o horário de verão também. Embora seja normal os pais relaxarem um pouco nas férias, devem respeitar o horário de alimentação, porque esta rotina é muito importante para regular o apetite das crianças. Impeça que seus filhos façam refeições com pressa e em momentos diferentes a cada dia. Uma boa digestão e mastigação, evita gases e outros problemas intestinais.

 

- Comece o dia com um bom café da manhã. Inclua no café da manhã das crianças leite, cereais, sucos ou frutas, evite alimentos gordurosos e o excesso de pão, introduzir frutas no café dos pequeninos, além de mais saudável, cria um habito correto de alimentação.

 

- Evite alimentos fritos. Substitua os alimentos fritos por grelhados. Lembre-se que é melhor consumir alimentos cozidos, ensopados ou assados.

 

- Respeite a digestão. Dependendo do tipo de alimentação, você deve fazer o pequeno respeitar o período de digestão antes de natação ou de qualquer outro tipo de atividade onde é necessário se exercitar. Espere pelo menos de uma hora a uma hora e meia depois de comer para nadar ou praticar exportes. Não respeitar o tempo certo para a digestão, pode causar dores abdominais, náuseas, vômitos e perda de consciência.

 

- Mantenha o habitual lanche da tarde. Um lanche da tarde é essencial para não ficar com tanta fome na hora do jantar, e evita quedas de glicose, especialmente no verão, quando as crianças praticam mais atividades físicas. Lanches e sanduíches, acompanhados por leite, iogurtes e sucos de frutas são boas alternativas para completar a alimentação de verão das crianças.

 

Composição da dieta infantil e nutrientes

Confira algumas dicas de como combinar nutrientes de forma correta para uma boa alimentação de seu filho, isso ajudará em seu desenvolvimento tanto físico, quanto mental.

 

Gorduras. Nunca deve exceder 30 por cento da ingestão diária de calorias de uma criança. Concentram-se em óleos vegetais, manteiga, nata, iogurte, ovos, margarina e gorduras animais.

 

Carboidratos. A maior parte da contribuição de calorias deve ser feito através do hidrato de carbono. Eles representam 60 por cento do consumo na dieta. Pães, cereais, farinhas, massas, arroz, batata, feijão, lentilhas e nozes são os mais ricos em carboidratos.

 

Proteínas. Eles são essenciais para o crescimento adequado da criança em desenvolvimento, e devem representar de 30 a 35 por cento das calorias totais na dieta. As proteínas animais são encontradas principalmente em carnes, peixes e ovos. Proteínas vegetais não são proteínas completas e esse tipo de alimento, deve ser combinado com outros para formar proteínas completas: o melhor para complementar são as lentilhas, arroz e feijão por exemplo.

 

É claro que as dicas contidas aqui se aplicam desde bebês de 6 meses de idade, a crianças maiores de até 9 anos, para fazer bom uso das dicas cabe o bom senso, nada de dar vitaminas a bebês com menos de 8 meses. Os pequeninos de até 6 meses, não necessitam de nada a não ser o leite materno para se alimentarem, salvo exceções que ocorrem por falta de leite da mãe, e nesse caso, nada deve ser dado ao pequenino sem a orientação de um pediatra. Quem não conhece uma vovó ou uma titia sabia com uma receita de levantar o astral do pimpolho? Parece muito bom e as intenções são sempre as melhores, mas podem causar sérios problemas, por isso voltamos a repetir, nada de receitas caseiras de super papinhas sem a prévia autorização de um pediatra.

 

Continuem acompanhando, em breve mais dicas para a alimentação do bebê, receitas de belas papinhas doces e salgadas, além de dicas imperdíveis de pediatras e nutricionistas, todos o carinho que o seu pequeno merece.